Nesta antiga colônia francesa vivem hoje cerca de 17 milhões de pessoas. Menos de 2% da população no Níger não professam a fé islámica. Desde os ataques nos últimos dois anos a cristãos nos países vizinhos Burkina Faso e Mali, também no Níger, de língua francesa, existe uma crescente violência contra cristãos. A ACN disponibilizou ajuda em 2016 para a sobrevivência de sacerdotes católicos, assim para a formação espiritual de jovens e religiosas.

Em 16 e 17 de Janeiro de 2015, a violência islámica também perpetrou ataques em outros países de língua francesa. Assim, no Níger foram destruídas no espaço de apenas quatro horas cerca de 80% das igrejas cristãs. Destas, as mais afetadas foram os edifícios em Niamey, a capital, e em Zinder, a segunda maior cidade.

Sagrada comunhão num campo onde convivem jovens cristãos e muçulmanos.
Sagrada comunhão num campo onde convivem jovens cristãos e muçulmanos.

Além disso, houve ataques violentos a cristãos. Cerca de 70 suspeitos foram detidos após os ataques. Mas até hoje nenhuma das pessoas detidas foi levada a tribunal, o que vem aumentar o medo entre a pequena comunidade cristã.

» Formação na fé como sinal de esperança num futuro melhor. «

Para manter a presença cristã no país, a ajuda de subsistência de sacerdotes e a formação de jovens e religiosas é um importante sinal para assegurar o futuro da Igreja Católica no Níger. Para isso, mantemo-nos em estreito contacto com as Igrejas locais.

Confissão na igreja de Diffa.
Confissão na igreja de Diffa.

Assim, em 2016, por exemplo para a “Fraternité des Servantes du Christ” em Tibiri e Dan Bako pudemos assegurar uma ajuda em bolsas de estudo para religiosas que assim continuam a sua educação em nutrição e higiene nas suas comunidades, além do seu trabalho pastoral.