Mali é um país encravado no oeste da África com 18 milhões de habitantes e somente cerca de 2% de cristãos. O país está em caos desde 2012, pois radicais islâmicos e combatentes tuaregues querem criar uma teocracia própria no norte. Centenas de milhares de pessoas estão fugindo da violência de jihadistas. A ACN apoia a Igreja no Mali com vários projetos, por exemplo na formação de padres e religiosos.

Devido ao terrorismo islâmico, o Mali está dividido na prática desde 2013. O mesmo se aplica à Igreja. Ao passo que a infraestrutura da Igreja foi destruída em grande parte no norte do país, a situação no sul é melhor, apesar de incidentes violentos; a comunidade católica está até crescendo na região. Para manter as estruturas eclesiásticas, em 2018, a ACN ajudou a Igreja local não só com a formação pastoral, mas também com veículos, subvenções para missas, assistência pastoral e construção. Na diocese San, por exemplo, um asilo para padres foi equipado com uma bomba movida a energia solar.